DESINTOXICAÇÃO

Passadas as festas de final de ano é comum escutarmos falar em desintoxicação. Mas também há muitas dúvidas e mitos sobre esse assunto… Funciona? Não funciona?? Como faz?? Serve pra quê??  

Hoje vou explorar o tema desintoxicação, com o qual trabalho desde 2004 e, de modo geral, abordo logo na primeira consulta, inclusive no atendimento de crianças.

Para entender o processo de desintoxicação temos que compreender primeiro que:

  1. Estamos expostos diariamente a inúmeras toxinas que vêm de origem externa ao organismo e também de origem interna, produzidas pelo próprio corpo como resíduo de processos metabólicos;
  2. O organismo por sua vez, possui órgãos e sistemas responsáveis pela eliminação de toxinas, sendo a remoção de substâncias tóxicas do corpo uma das funções mais importantes do fígado, trato gastrointestinal inferior e rins;
  3. No entanto, para que esses órgãos e sistemas consigam realizar suas funções com eficiência, necessitam de nutrientes e fitoquímicos, que precisam vir através da nossa alimentação.

Dentre as toxinas de origem externa que estamos expostos estão compostos voláteis presentes em materiais de limpeza, medicamentos, álcool, pesticidas e aditivos de alimentos. Além dos metais pesados como chumbo, mercúrio, cádmio, arsênico, níquel e alumínio, presentes em embalagens, utensílios de cozinha, tintas, cosméticos e alimentos como em peixes. Já as toxinas de origem interna incluem bactérias, fungos e produtos derivados do metabolismo normal das proteínas (ureia e creatinina).

Alta quantidade de carga tóxica no organismo altera a produção de hormônios, prejudica a função de vários órgãos e aumenta o risco de desenvolvimento de inúmeras doenças, especialmente as de origem inflamatória. Além de sobrecarregar a própria função de destoxificação do fígado, aumentando o acúmulo de toxinas no tecido adiposo, ósseo e cerebral.

Por outro lado, reduzir a exposição às toxinas de origem externa e aumentar a ingestão de nutrientes e fitoquímicos é o que pode ativar o processo de eliminação de toxinas do corpo.

Assim, um plano alimentar destoxificante é aquele que:

– Aumenta o consumo de alimentos orgânicos em detrimento dos convencionais (cheios de agrotóxicos);

– Possui na sua maior parte alimentos naturais e reduz o consumo de industrializados ricos em aditivos químicos;

– Inclui diariamente porções de alimentos ricos em compostos bioativos como: glicosinolatos (presentes nas brássicas: repolho, couve-flor, couve-manteiga, brócolis, agrião, rúcula), curcumina presente no açafrão, flavonoides presentes no alecrim e catequinas do chá verde.  Além das fontes de vitaminas e minerais, presentes em frutas, legumes, verduras e alimentos integrais*.

*Importante ressaltar que apesar de possuírem propriedade bioativas importantes esses alimentos não são indicados para todas as pessoas, devendo buscara orientação individualizada sobre quais são adequados para a sua situação de saúde, idade, etc.

– E para finalizar ÁGUA, em quantidade adequada a sua necessidade, pra carregar as toxinas para fora o corpo.

Ficou mais claro??

Por isso costumo dizer que desintoxicação não é uma dieta e sim um estilo de alimentação, que todas as pessoas em qualquer faixa etária podem se beneficiar.

Bora viver com menos toxinas e mais saúde!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: